Política

DESESPERO

Fábio Novo diz que ações de Sílvio Mendes contra obras do OPA são sinal de desespero

O petista disse que as ações contra ele partem da "turma do atraso" que bloquearam verbas federais para o Estado no governo Bolsonaro

Da Redação

Terça - 14/05/2024 às 14:06



Foto: Montagem Piauí Hoje Fábio Novo e Sílvio Mendes
Fábio Novo e Sílvio Mendes

O deputado estadual Fábio Novo, pré-candidato do PT a prefeito de Teresina, condenou, nesta terça-feira (14), em discurso na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), o que chamou de tentativa do ex-prefeito Sílvio Mendes de proibir que deputados se manifestem politicamente na sede do parlamento estadual.

Sílvio Mendes é pré-candidato a prefeito de Teresina pelo União Brasil e ingressou com três ações na Justiça acusando Fábio Novo de estar fazendo campanha eleitoral.

Fábio novo disse que entende como desespero do adversário as ações de Sílvio contra obras do Programa Orçamento Participativo (OPA), em Teresina. 

"Isso demonstra desespero porque nós crescemos nas pesquisas. Nós partimos de 6% no ano passado e chegamos ao empate. Esse crescimento nas pesquisas está incomodando", disse Fábio Novo.

Entenda o caso

Há cerca de duas semana, o ex-prefeito Sílvio Mendes ingressou com ação na Justiça contra o pré-candidato petista a prefeito de Teresina, deputado Fábio Novo, e a Associação de Moradores do Loteamento Parque Manoel Evangelista. Ele queria barrar a realização de obras do OPA naquela área da cidade.

A ação foi movida pelo União Brasil, partido de Sílvio Mendes, e foi parar na 63ª Zona Eleitoral de Teresina. A ideia era barrar a realização de obras do OPA na cidade, sob a alegação se que elas seriam propaganda política eleitoral.

Mas a ação do ex-prefeito não prosperou. Na sexta-feira (10), o juiz Washington Luiz considerou o pedido é improcedente e decidiu manter as obras por entender que elas vão ajudar a população e com a suspensão delas as comunidades seriam prejudicadas.

Na decisão, o juiz da 63ª Zona Eleitoral também destacou que o Orçamento Participativo - OPA, programa do Governo do Estado, já existia antes do anúncio de Fábio Novo como pré-candidato e que as obras foram sugeridas pela população e irão beneficiar as comunidades.

Com a decisão, as obras, que incluem, por exemplo, a reforma do Centro Esportivo da Vila Irmã Dulce, que foi proposto pela entidade Juntos pela Vila Irmã Dulce e a construção de uma praça proposta pela Associação de Moradores da Ocupação Jardim do Vale, irão prosseguir normalmente.

Perseguição 

O parlamentar acentuou que Sílvio faz parte do mesmo grupo que tem perseguido o povo piauiense desde o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro, que bloqueou recursos para a conclusão da Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa.

"Trata-se da maior e mais moderna maternidade pública do Brasil e só pôde ser inaugurada depois que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumiu seu mandato no Palácio do Planalto." Ainda de acordo com o petista, o ex-prefeito comprova que está perseguindo a população do estado em função de ter bloqueado o repasse de recursos federais, já aprovados, para a conclusão, por exemplo, do viaduto do Mercado do Peixe, da duplicação do trecho da rodovia federal BR-316, entre Teresina e Demerval Lobão, e, sobretudo, da construção do Hospital do Câncer, cujo orçamento de R$ 20 milhões fora garantido.

O Hospital do Câncer, que será integrado ao complexo do Hospital Universitário (HU), da Universidade Federal do Piauí (UFPI), teria suas obras iniciadas durante o governo Bolsonaro, já que os recursos, viabilizados através de emenda parlamentar do senador Marcelo Castro (MDB), foram bloqueados pelo então ministro da Saúde, Eduardo Pazzuelo. Essas informações foram divulgadas pelo próprio deputado do PT. "O viaduto, a maternidade e a duplicação do trecho da BR-316 foram concluídos depois que o presidente Lula iniciou seu governo, e o Hospital do Câncer já se encontra em construção."

Siga nas redes sociais

Compartilhe essa notícia: